Manual do Linux

outubro 28, 2007

Status musical no Pidgin com MusicTracker

Introdução

É moda entre os usuários Windows ativar um plugin no Windows Live Messenger que se integra ao Windows Media Player e mostra o que o indivíduo está ouvindo.

Esta dica é para você, usuário Linux que sente falta de algo similar a esse plugin. Mostro hoje o MusicTracker, um plugin para o Pidgin(programa de mensagens instantâneas) que se integra com inúmeros players for Linux para mostrar o que você está ouvindo.

Diretamente da página do projeto no Google Code:

MusicTracker is a plugin for Pidgin (previously known as Gaim) which displays the music track currently playing in the status message of various accounts such as AIM, Yahoo, MSN, Gtalk (Jabber), etc., i.e. any protocol Pidgin supports custom statuses on. Support for a wide range of audio players on both Windows and Linux platforms is planned. Currently supported players: Amarok, Rhythmbox, Audacious, XMMS, MPC/MPD, Exaile, Banshee, Quod Libet on Linux. Winamp, Windows Media Player (9+), iTunes, Foobar2000 (incomplete support) on Windows.

Tradução livre:

MusicTracker é um plugin para o Pidgin que mostra a música que está tocando atualmente no status de vários protocolos como AIM, Yahoo, MSN, Gtalk(Jabber), etc. e.g qualquer protocolo do Pidgin que suporte status personalizado. O suporte para uma grande faixa de player tanto para Windows como para Linux é planejado. Players suportados atualmente: Amarok, Rhythmbox, Audacious, XMMS, MPC/MPD, Exaile, Banshee, QuodLibet no Linux. Winamp, WIndows Media Player(9+), iTunes, Foobar2000(suporte incompleto) no Windows.

Quer uma amostra? Aí vai:

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Instalação

Nenhuma das distribuições que eu conheço inclui o MusicTracker em seus repositórios. Por isso teremos que compilá-lo direto do código fonte.

Antes de começar devemos instalar algumas dependências. As dependências inluem:

  • Pidgin 2.0.0 ou superior
  • As bibliotecas de desenvolvimento do Pidgin(comumente pidgin-devel)
  • A biblioteca pcre e seu pacote de desenvolvimento (comumente pcre e pcre-devel)
  • Dbus-glib

Instalação das dependências:

Debian, Ubuntu e derivados:

# apt-get install libpcre3-dev pidgin-dev

OpenSuSE

Selecione os pacotes pcre-devel e pidgin-devel no YaST.

Mandriva

# urpmi libpcre-devel pidgin-devel

ToDo: Preciso incluir a instalação das dependências em outras distribuições.

Pra instalar o plugin em si não basta mais do que baixar, descompactar e executar os três comandinhos mágicos:

$ wget -c http://musictracker.googlecode.com/files/musictracker-0.4.1.tar.bz2
$ tar jxvf musictracker-0.4.1.tar.bz2
$ cd musictracker-0.41
$ ./configure
$ make
# make instal
l (como root)

Nota: Para os usuário do ArchLinux, existe uma PKGBUILD no AUR do MusicTracker. Ela pode ser encontrada aqui.

Usando o Plugin

Abra o Pidgin, conecte-se e vá em Ferramentas > Plugins. Localize o MusicTracker, ative-o e clique em Configurar plugin.

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Em Player você pode selecionar o player que você usa e que será detectado.
A opção Status Format permite que você configure o modo como será mostrada a música na sua mensagem de status. Para isso você deve usar o código referente às variáveis do MusicTracker. Em Adicionar há uma lista completa, mas aqui vão algumas:

  • %p – Artista
  • %a – Album
  • %t – Nome da música
  • %m – Símbolo de nota musical
  • %d – Duração da Música

Feita a configuração, você pode ser supercool novamente e mostrar pra todo mundo o que está ouvido 😉

Abraços e até a próxima

Powered by ScribeFire.

Anúncios

julho 2, 2007

Dica: Get.Debian.net – Baixe o Debian de maneira simples – contribuição brazuca!

Filed under: Tutoriais/Dicas — PabloVieira @ 4:52 pm

Aqui vai uma dica pro pessoal que quer fazer o download do Debian. Durante a debconf desse ano, o povo do Debian-BR(desenvolvedores brasileiros do Debian): o novíssimo portal get.debian.net
.
Ele é, com certeza, a maneira mais fácil de se adquirir ISOs do Debian Etch. Baseado nos dados que o navegador fornece sobre o seu computador, o sistema trata de preparar os links corretos para a imagem que melhor se encaixar na sua arquitetura. Ele prepara o link para o primeiro DVD e para a imagem NetInstall do Debian. Também é possível baixar via Torrent, com o http://get.debian.net/bittorrent .

É o pessoal brasileiro mostrando de novo que pode fazer do Linux mais amigável pro usuário!

maio 11, 2007

Dica: Quod Libet – Ouça suas músicas, organize-as e edite suas tags de manira prática e eficiente

Filed under: Tutoriais/Dicas — PabloVieira @ 7:24 pm

Venho, nesta dica, mostar o Quod Libet, um player de música de fácil manuseio e com uma capacidade inigualável para organizar coleções. Ele possui integração com o ExFalso(editor de IDTags de músicas da mesma equipe do Quod Libet), o que lhe permite fazer edição das IDTags suas músicas de maneira rápida. É escrito em Python com a biblioteca GTk+ e se baseia em expressões regulares para organizar a biblioteca, o que o torna bem ágil.

Você pode visitar a homepage do Quod Libet em http://www.sacredchao.net/quodlibet.

“Cansado de players que acham que sabem organizar suas músicas para você? As outras bibliotecas morrem após meras 10000 músicas? Ou você simplesmente pensa “Oh cara, eu poderia apenas dar um grep nas minhas músicas”? Ou você só procura algo que possa etiquetar suas músicas?” Este é, com uma tradução mediana, o slogan do Quod Libet. E ele faz jus a isso.

Instalando

No Debian e derivados:
apt-get install quodlibet quodlibet-plugins

No Ubuntu:
apt-get install quodlibet(os plugins vêm incluídos por padrão).

No ArchLinux:
pacman -Sy quodlibet(os plugins não vêm por padrão, logo vamos aprender a baixá-los e instalá-los manualmente)

Ou baixe seu próprio pacote em: http://www.sacredchao.net/quodlibet/wiki/Download
PS: Se você souber como fazer a instalação em outras distribuições por favor avise para que eu possa incluir na dica ;-).

Primeira visão:

O Quod Libet parece um player comum a olho nu. Mas vamos ver como habilitar mais funções em seu visual.

Primeira coisa, para melhorar a usabilidade. Vá em Ver -> Navegador.

Adicionando músicas e ouvindo:

Agora temos um âmbito do poder do bichano :).”Mas cadê as minhas músicas?” – Você deve estar se perguntando. Calma, calma. Vamos em música -> Adicionar uma Pasta. No meu caso, selecionei a pasta /home/PabloVieira/musica. O Quod Libet é bem rápido para organizar coleções. Aqui demorou menos de 12 segundos.

Vamos começar a tocar? Basta clicar sobre um dos artistas e álbums e começar a ouvir seu som 😉 Você pode selecionar opções no combo-box escrito “Ordenar” e pode selecionar o Repeat na caixa “Repetir”.

Organizando playlists, editando as tags da música e vendo letras

Tudo muito bom, tudo muito bem. Você já organizou sua coleção de forma muito inteligente e já ouviu suas músicas. Hora de explorarmos mais o Quod Libet =D.

Organizando playlists

Vamos agora organizar uma lista de reprodução (playlist personalizada). Vá em Ver -> Lista de Reprodução.

Agora que você tem o painel de playlists, basta ficar segurando e arrastando até montar uma de seu gosto.

Modos de visualização diferentes

Vamos agora explorar alguns dos modos de visualização do Quod Libet.

O primeiro a ser mostrado é o navegador de álbuns. É um painel que permite navegar apenas entre os álbuns dos artistas.
Vá em Ver > Lista de Álbuns.

Que tal apenas navegar pelos seus arquivos e pastas para achar músicas sem precisar adicioná-las à coleção? Vá em Ver -> Sistema de Arquivos.

Instalando plugins

Aproveite essa parte se você ainda não tem nenhum plugin instalado no Quod Libet. Para baixá-los é necessário o pacote subversion:

apt-get install subversion(Debian e Ubuntu)

pacman -Sy subversion(ArchLinux)

Execute os seguintes comandos:

svn co http://svn.sacredchao.net/svn/quodlibet/trunk/plugins – baixamos os plugins via subversion

Agora vamos mover os plugins para a pasta certa: mv plugins/ ~/.quodlibet/

Para ver os plugins, vá em Música -> Plugins.

Pode fuçar à vontade. Alguns plugins muito interessantes são:

  • Tray Icon – cria um ícone do QuodLibet na bandeja
  • Search Album in Wikipedia e Search Artist in Wikipedia – busca dados do artista e do álbum na Wikipédia
  • Picture Saver – Salva a capa dos álbuns na pasta selecionada.
  • Burn CD – Queimar CDs com o K3B
  • Alarm Clock – Este é bem engraçado. Você programa um horário, e, se o computador estiver ligado a esta hora, o Quod Libet te acorda com uma música barulhenta =O

Vendo as informações da música e visualizando letras

Este é um recurso muito útil. Num único painel, podemos ver todas as informações possíveis sobre a música que estiverem disponíveis, como álbum, número da faixa, Artista, Compositor, ano caminho da música, tamanho, bitrate e etc. Veremos como editar esses dados mais tarde. Também é possível ver letras de músicas através deste mesmo painel.

Vá em Controle -> Informação. Na primeira aba você verá toda a informação da música. Clique na aba “Letras” para ver a letra da música. Caso ela não seja encontrada, clique em Baixar.


Editando as tags da música

Este é um dos mais interessantes recursos do Quod Libet. Você tem total integração com o player para editar as informações da música, como Álbum, Artista, Título, Ano, Parte e etc. Vá em Controle -> Editar Tags.


Para adicionar uma informação, clique em Adicionar.

Coloque o nome da Tag (cada Tag possui um nome) e seu valor. Você pode ver todos os nomes de tags clicando na setinha ao lado do campo Nome.
Para editar uma das tags, clique duas vezes sobre o valor. A caixa abrirá para edição. Sinta-se à vontade ;).

É isso aí. Agora você conhece o maravilhoso Quod Libet de cabo a rabo. Agora pode tirar o máximo proveito de todas as suas músicas!

Esperam que tenham gostado. Abraços e até a próxima!

Autor – Pablo Vieira/StJimmy2k (eu kkkk)

technorati tags:, , , ,

Blogged with Flock

maio 2, 2007

Dica: conectando-se ao Google Talk no Linux

Filed under: Tutoriais/Dicas — PabloVieira @ 9:21 pm

O Google Talk é um programa de mensagens instantâneas que vem se popularizando entre os usuários da Internet, principalmente aqueles que participam do Orkut. Mas não há um cliente oficial para o GNU/Linux. O que poucos sabem é que na verdade o Google Talk é um servidor Jabber, um protocolo gratuito e opensource de mensagens instantâneas, o que faz do Google Talk compatível com vários dos clientes de mensagem instantânea populares do Linux. Vamos ver, neste tutorial, como conectar-se ao Google Talk em diversos clientes para o Pingüim.

Começarei abordando os clientes mais comuns para Linux, o Pidgin(antigo Gaim) e o Kopete. Depois mostrarei um cliente Jabber muito poderoso e eficiente, o Gajim.

O Gaim (chamado de Pidgin na nova versão 2.0) é, nos dias atuais, um mensageiro muito popular. É tido praticamente como o mensageiro padrão do Gnome :-). Se você é usuário do Pidgin/Gaim esta parte é para você.

Abra o Pidgin/Gaim e vá ao Menu Contas(Accounts) -> Adicionar/Editar(Add/Edit).

Clique em Adicionar(Add). Em Protocolo, selecione Jabber.
Em Nome de usuário, coloque o seu nome de usuário do Gmail, sem o @gmail.com.
Em Servidor, coloque gmail.com.
No campo Recurso, coloque Gaim.
Vá até a aba Avançado.
Em Porta de Conexão, coloque 5222.
Preencha Servidor de conexão com talk.google.com
Finalmente, clique em Registrar.

Agora basta habilitar a conta e curtir as mensagens com seus contatos.

O Kopete é parte integrante do ambiente KDE. É praticamente padrão entre os KDE-users. Esta parte do tutorial foi feita por Júlio César Bessa Monqueiro, em dica anterior ao Guia do Hardware.net,e os créditos da mesma são todos para ele 😉
http://www.guiadohardware.net/dicas/google-talk-kopete.html

Agora sim, vamos à parte gráfica: de Kopete aberto, clique em Configurações > Configurar…

Na nova tela, clique em Novo…, e na nova tela que aparecer, selecione “Jabber”.

Avance, e na próxima tela adicione as informações do seu email, como login, com @gmail.com e senha.

Vá até a próxima aba, Conexão. Essa é a parte fundamental da dica, para a sua conexão com os servidores do Google. Marque as três primeiras opções, “Usar criptografia do protocolo (SSL)”, “Permitir senha de autenticação em segundo plano” e “Sobrepor informações padrão do servidor”. No campo abaixo, coloque “talk.google.com”, e em “Porta”, 5222 ou outra que deseje.Finalmente dê OK.

Pronto! Seu Kopete está pronto para conectar-se à rede Jabber do Google Talk, sem sofrimentos. Divirta-se!

O Gajim é um cliente de mensagens instantâneas exclusivo para o protocolo do Jabber, e isso faz com que ele possua suporte a vários recursos que o Jabber provê, como discos virtuais e gateway de protocolo. Mesmo o Gajim possui ótimos recursos, como criptografia SSL e suporte a mensagens do DBus É um cliente relativamente popular, a ponto de estar disponível nos gerenciadores de pacotes de praticamente todas as distribuições Linux atuais.

Para aqueles que não conhecem o Gajim, podem visitar http://www.gajim.org

Vamos começar. Abra o Gajim. Se esta for a primeira vez que o executa, o assistente para configuração de conta será aberto automaticamente. Caso não seja, siga os primeiros passos.

Vá em Editar -> Contas.Clique em Novo

Na próxima tela, marque o campo Eu já tenho uma conta e quero usa-la.
Clique em Avançar.

No caso do Gajim, não é necessário especificar endereços de servidores de conexão ou portas. O cliente já possui uma boa compatibilidade com o Google Talk.
Em Nome de usuário, preencha apenas o seu login, sem @gmail.com.
Em Servidor, coloque gmail.com.

Pronto! A configuração no Gajim é mais simples e eficiente. Agora você pode bater seus papos o quanto quiser.

É isso aí pessoal. Agora você pode conectar-se ao Google Talk e conversar com seus amigos das mais diferentes maneiras. Ótimo ter liberdade de escolha, não!

[]’s!

StJimmy2k!

Blogged with Flock

Blog no WordPress.com.